A Origem

O Mundo Dentro dos Sonhos em A Origem

A OrigemDizem que Christopher Nolan passou dez anos escrevendo seu roteiro para A Origem. Isso deve ter envolvido uma concentração prodigiosa, como jogar xadrez nos olhos ao caminhar com um fio apertado.

O herói do filme testa um jovem arquiteto desafiando-a a criar um labirinto, e Nolan nos provoca seu próprio labirinto deslumbrante. Temos de confiar nele que ele pode nos guiar, porque a maior parte do tempo estamos perdidos e desorientados.

A história pode ser contada em poucas frases, ou não contadas. Aqui está um filme imune aos spoilers: se você soubesse como isso terminou, isso não dirá nada a menos que você soubesse como ele chegou lá. E, dizendo-lhe como conseguiu, isso provocaria desconfiança.

O filme é tudo sobre o processo, sobre combater nosso caminho através de folhas envolventes de realidade e sonho, realidade nos sonhos, sonhos sem realidade. É um ato de malabarismo de tirar o fôlego. É a história de um homem com perda de memória a curto prazo, e a história foi contada para trás.

Como o herói desse filme, o espectador do filme está à deriva no tempo e na experiência. Nós nunca podemos ter certeza de qual é a relação entre o tempo dos sonhos e o tempo real. O herói explica que você nunca pode se lembrar do início de um sonho, e que os sonhos que parecem cobrir as horas só podem durar pouco tempo. Sim, mas você não sabe disso quando está sonhando. E se você estiver dentro do sonho de outro homem? Como o tempo dos seus sonhos se sincroniza com o dele? O que você realmente conhece?

Cobb (Leonardo DiCaprio) é um incursor corporativo da mais alta ordem. Ele infiltra a mente de outros homens para roubar suas idéias. Agora ele é contratado por um bilionário poderoso para fazer o contrário: introduzir uma idéia na mente de um rival e fazê-lo tão bem que ele acredita que é dele mesmo. Isso nunca foi feito antes. Nossas mentes estão tão alertas para idéias estrangeiras quanto nosso sistema imunológico é para agentes patogênicos. O homem rico, chamado Saito (Ken Watanabe), faz dele uma oferta que ele não pode recusar, uma oferta que acabaria com o exílio forçado de Cobb do lar e da família.

Obb monta uma equipe, e aqui o filme conta com os procedimentos bem estabelecidos de todos os filmes de guerra. Conhecemos as pessoas com quem ele precisará trabalhar: Arthur (Joseph Gordon-Levitt), seu antigo associado; Eames (Tom Hardy), um mestre em decepção; Yusuf (Dileep Rao), um químico-mestre. E há um novo recruta, Ariadne (Ellen Page), um jovem e brilhante arquiteto que é prodígio na criação de espaços. Cobb também vai para a base de toque com o seu pai, Natas Miles (Michael Caine), quem sabe o que ele faz e como ele faz isso.

A rara habilidade de Cobb tornou-o um jogador cobiçado neste novo mundo traidor de espionagem corporativa, mas também o tornou um fugitivo internacional e custou-lhe tudo o que ele já amou. Agora, a Cobb oferece uma chance de redenção. Um último emprego poderia dar-lhe a vida dele, mas apenas se ele puder realizar o impossível.

Em vez do choque perfeito, Cobb e sua equipe de especialistas devem retirar o contrário: sua tarefa não é roubar uma idéia, mas plantar uma. Se conseguirem, poderia ser o crime perfeito. Mas nenhuma quantidade de planejamento ou experiência cuidadosa pode preparar a equipe para o inimigo perigoso que parece predizer todos os seus movimentos. Um inimigo que só Cobb poderia ter visto chegar. Com distribuição da Warner Bros Pictures.

Trailer: